Para-Raios

Para Raio é uma haste de metal, geralmente de cobre, alumínio, aço inoxidável ou galvanizado comumente localizado posicionado em lugares altos, com a finalidade de proteger edifícios em um contexto de geral de descargas elétricas atmosféricas, raios. Seu funcionamento se dá através de cabos de pequena resistência elétrica e hastes de aterramento.

Tipos de Para-Raio

Para-Raios Tipo Franklin

Compostos de três ou quatro hastes metálicas pontiagudas em sua extremidade, ligadas a um fio condutor conectado ao solo.

Para Raio Faraday Método de Malhas, Gaiola

Consiste em instalar um sistema de captores formado por condutores horizontais interligados em forma de malha, formando uma rede modular de condutores envolvendo todos os lados do volume a proteger (cobertura e fachadas), criando assim uma espécie de “gaiola”.

Tudo sobre Para Raios e Subsistemas de Decida RJ

No mercado, estão disponíveis diversos tipos de Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas, ou “Para-Raios”, contudo, os mais utilizados são: No mercado, estão disponíveis diversos tipos de Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas, ou “Para-Raios”, contudo, os mais utilizados são: Para-raios de Franklin (Método do Ângulo de Proteção), Gaiola de Faraday e Inibidor de Raios. 

 

Para Raios de Franklin

Composto por 3 hastes metálicas pontiagudas em sua extremidade, ligadas a um fio condutor conectado ao solo. Esse tipo de Para Raio é muito utilizado em razão da sua pela sua eficiência em dissipar as descargas elétricas para o solo. Este método parte do principio que a ponta do para raio vai proteger o volume de um cone abaixo dele, formando um angulo α com a vertical, como ilustrado abaixo.

Este método é recomendado para Edificações de uma altura não muito elevada (à partir de 60 metros de altura a execução já se torna um pouco mais complicada), e que não possuem uma área horizontal muito grande. Ou seja, é notavelmente recomendado para edifícios residenciais de até 20 Andares, em média.

 

 

 

 

para raios

Para Raios Tipo Malhas Faraday

É um sistema de captores formado por condutores horizontais interligados em forma de malha, formando uma rede modular de condutores envolvendo todos os lados do volume a proteger (cobertura e fachadas), criando assim uma espécie de “gaiola”.  

Um condutor, quando carregado, tende a espalhar suas cargas uniformemente por toda a sua superfície. Se esse condutor for uma esfera oca, por exemplo, as cargas irão se espalhar pela superfície externa, pois a repulsão entre as cargas fazem com que elas se mantenham o mais longe possível umas das outras. Os efeitos de campo elétrico criados no interior do condutor acabam se anulando, obtendo assim um campo elétrico nulo.

Dessa forma acontece quando o condutor não está carregado, mas está em uma região que possui um campo elétrico causado por um agente externo. Seu interior fica livre da ação desse campo externo, fica blindado. Esse efeito é conhecido como blindagem eletrostática.

 

 

Tipos de Para Raios para cada Subsistema

 

O captor é o elemento que tem o primeiro contato com o raio. Isto é, o elemento metálico que tem como objetivo principal interceptar a descarga atmosférica. É senso comum para muitos que o captor é o Para Raio em si, porém, ele é apenas uma parte do sistema, que possui, certamente, uma grande importância.

Captores do Tipo Franklin são são os mais populares e conhecidos. Eles são usados no método do Ângulo de proteção, mas também podem ser usados no método eletrogeométrico.

 

Para Raios: Captores do tipo Melsen ou (Minicaptores)

 

Os captores de Melsen são usados no método das malhas. São hastes de 50 cm instaladas com um espaçamento de 5 ou 8 metros. Eles não são essenciais no método da gaiola de Faraday, porém a sua utilização é recomendada para evitar o desgaste térmico dos cabos, devido a incidência direta de descargas.

 

 

 

DÚVIDAS SOBRE PARA-RAIOS?

Ligue agora e tire todas as suas dúvidas com um especialista em Para-Raios da AL.

Perguntas Frequentes sobre Para Raios

O que é SPDA?

Nome dado a medida de proteção para este fenômeno recebe o nome de Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA), ou seja
Para-Raios.

O que são Para Raios?

Para-raios são hastes metálicas pontiagudas feitas de cobre, alumínio ou aço. Costumam ser posicionados em lugares elevados, como no alto dos edifícios, a fim de proteger-lhes dos possíveis danos causados por raios.

Legislação sobre PARA-RAIOS no Rio de Janeiro

uso de pára-raios é obrigatório para prédios com mais de 30 metros de altura, conforme o Código de Segurança contra Incêndios e Pânico, Decreto Estadual (RJ) 897, de 21 de setembro de 1976, Art. 168. (Obs. porém a Lei faz menção a NBR 5419 que foi atualizada em 2015 e recomenda acima de 10 metros).

Quem pode instalar Para Raios?

Profissinal certificado ou engenheiro poderá viabilizar com precisão o tipo de projeto de para-raio que deve ser instalado na edificação. Além disso, o Corpo de Bombeiros conforme o Código de Segurança contra Incêndios e Pânico através da Normativa NBR 5419 da ABNT deverá obedecer ao que determinam as normas próprias vigentes, sendo da inteira responsabilidade do instalador a obediência às mesmas.

Quanto custa um projeto e instalação de Para-Raios?

O valor a ser investido para instalar para-raios em local comercial ou residencial fica é de aproximadamente R$ 3.600,00. Além disso, será executada por um profissional especializado nesse serviço, junto com um engenheiro elétrico, responsável por coordenar o projeto e fazer o laudo técnico.

Contato

7 + 10 =

Rua Feliz Lembrança, Andaraí Rio de Janeiro

21 3496-9058

vendas@recargadeextintores-rj.com

Estamos Online!